quinta-feira, 24 de julho de 2014

A.R.C.Sto Ovídio organiza Concurso Convívio de Pesca este Domingo em Queimadela

Redacção

A Associação Recreativa e Cultural de Santo Ovídio, tem organizado para o próximo domingo das 09 horas às 13, um concurso/convívio de pesca, na Barragem de Queimadela.
Para além do cariz principal que tem a ver com a vertente da pura convivência, existe uma directriz de que a organização não abdica, ou seja, é obrigatório cada participante ser portador de licença de pesca.
As inscrições terminaram hoje na Sede e na FafeZoo, sendo o preço de participação de 12€ para sócios com as quotas em dia e 15€ para não sócios.
De referir, finalmente, que há almoço garantido para todos os participantes.

Volta a Portugal vai estar dois dias em Fafe. Terça-feira é dia de apresentação. Quarta-feira dão-se as primeiras pedaladas da edição 76!

Por: Abel Castro


Caberá ao Município de Fafe, receber, este ano, o início da 76.ª Volta a Portugal Liberty Seguros em bicicleta. Será a 30 de julho que os amantes do ciclismo terão os olhos postos em Fafe para as primeiras pedaladas da Volta 2014, um prólogo corrido em sistema de contrarrelógio individual.
Inicia-se aqui a mais importante competição velocipédica nacional que, ao longo de duas semanas, de 30 de julho a 10 de agosto 2014, irá, mais uma vez, levar as emoções deste desporto tão popular ao país.
Antes disso, na terça feira, a Praça da Comunidades acolherá todas as equipas para a sua apresentação oficial, perante todos os Orgãos da Comunicação Social do país e do estrangeiro.
Não será a primeira vez que Fafe recebe a partida da Volta. Já em 2011, a corrida começou na cidade igualmente com um prólogo.
Ao longo do historial da Volta, a cidade já recebeu 16 finais de etapa, a primeira em 1938 e até agora foi palco de 11 partidas de etapa.
Para Raul Cunha, presidente da autarquia, a escolha de Fafe para a Grande partida da Volta 2014 “é um claro reconhecimento nacional da importância do município, enquanto parceiro da Volta a Portugal em bicicleta. Trata-se de um evento da maior importância quer em termos desportivos, quer ao nível da promoção dos agentes locais de desenvolvimento, o que se reflecte na economia local, algo a que somos particularmente sensíveis neste momento que todos vivemos. Fafe é já um destino clássico dos amantes da modalidade, possuindo condições de excelência para a prática deste desporto que tem atraído cada vez mais praticantes nas suas diversas vertentes”.

Jorge Coroado falou sobre arbitragem em Fafe...“Para mim, este mundial teve o pior conjunto de arbitragem de campeonatos do mundo”



 Fonte: CMF

Jorge Coroado falou dos desafios da arbitragem em colóquio em Fafe

Ex-árbitro não poupou críticas à arbitragem atual, num encontro promovido pela Câmara de Fafe


Jorge Coroado, ex-árbitro de futebol, foi o convidado do primeiro colóquio promovido pelo Pelouro do Desporto, da Câmara Municipal de Fafe, no âmbito de um conjunto de sessões temáticas com o objetivo de contribuir para o enriquecimento e capacitação dos diversos intervenientes no fenómeno desportivo local, regional e nacional.
Foram duas horas de conversa, em que Jorge Coroado falou dos direitos e deveres de um árbitro, do trabalho de um profissional desta área e dos incómodos que pode ter a nível pessoal e profissional.
“O árbitro tem, acima de tudo, de ter integridade, atitude e saber comportar-se. Se não for capaz de olhar para si próprio, seguramente não tem capacidade de julgar os outros”.
Jorge Coroado que foi árbitro durante 25 anos, 11 dos quais como internacional, olha para o futebol da atualidade com desconfiança, considerando que “qualquer dia, vamos ter futebol feito por máquinas”.
“O futebol de alta competição já não é desporto, é uma indústria que envolve muitos interesses”.
Sobre o papel do árbitro dentro das quatro linhas, Jorge Coroado lembrou que a arbitragem “não pode ser um meio para atingir um fim, tem de ser exatamente o contrário”.
“Emocional e psicologicamente, o árbitro não devia ser pago pelo desempenho da arbitragem, mas sim pelo desempenho psicológico, pois são um auxiliar tremendo no equilíbrio da população”.
A conversa deu ainda para se falar do último campeonato do mundo de futebol. O ex-árbitro não poupou críticas aos árbitros escolhidos.
“Para mim, este mundial teve o pior conjunto de arbitragem de campeonatos do mundo”.
Na tertúlia, houve ainda tempo para recordações. Jorge Coroado falou de alguns dos momentos mais polémicos da sua carreira, entre os quais o que ficou conhecido com o caso da “Azia do Coroado”, referente ao Jogo entre o Chaves e o Sporting, ou o caso da expulsão de Caniggia, no jogo Benfica-Sporting.
No final do encontro, Pompeu Martins, vereador com o pelouro do Desporto na Câmara de Fafe, disse-se satisfeito com este primeiro encontro.
“Este é o primeiro de uma série de colóquios sobre desporto que estamos a organizar. Consideramos que esta troca de experiências é enriquecedora para todos nós e o Jorge Coroado mostrou, esta noite, o que é ser árbitro. Estamos muito satisfeitos”.







quarta-feira, 23 de julho de 2014

Arões S.C. deu o pontapé de saída para a época 2014/2015 com oito reforços e quatro ex-juniores! "Não queremos subir para fechar as portas passados dois anos"


Texto e fotos: Abel Castro

O Arões deu esta quarta-feira o "pontapé de saída" para a próxima temporada.

Com oito reforços e quatro ex-juniores que subiram ao escalão principal, a equipa de Miguel Paredes parece-nos bastante equilibrada.
Filipe ex-A.D. Fafe é ainda assim a aquisição mais sonante, de uma equipa que pretende andar sempre nos primeiros cinco lugares, o objectivo principal da Direcção.
A estrutura da equipa mantém-se, dado que só três jogadores saíram, mas como diz Carlos Martins, presidente do clube, jamais o Arões S.C pensará em subir de divisão, para não correr o risco de o clube acabar passados dois anos.
Os reforços do Arões S.C.:
Em cima: Agostinho ex-Lixa, Nandinho ex-Maria da Fonte, João Sampaio ex-Serzedelo e Hélder Oliveira (sem clube);
Em baixo: Filipe ex-A.D. Fafe, Rui Rampa ex-A.C.D. Pica, Marquinhos ex-G.D. Travassós e Zezé ex- CCD Santa Eulália.
Equipa técnica: Ricardo Cunha, Miguel Paredes e Fernando Ferreira.



Já há jogos de pré-época agendados, que são os seguintes:

A.D. Ninense - Arões S.C., 02/08/2014
Arões S.C. - G.D. Serzedelo (Torneio do U. Torcatense), 09/08/2014
Arões S.C. - A.D. Fafe juniores" - (Torneio do Arões S.C.), 16/08/2014.

O plantel é composto pelos seguintes 28 jogadores:

Guarda-Redes: Paulo Jorge, Fábio e João Sampaio ex-Serzedelo.
Defesas: Pedro Rosita, Marcos ex-G.D. Travassós, Nandinho ex-S.C. Maria da Fonte, Presunto ex-júnior, Rui Rampa ex-A.C.D. Pica, Fernando Beijinhos, Óscar, Kéke e Zezinho.
Médios: Antunes ex-júnior, Zé Paulo ex-júnior, Gustinho, Bruno Cunha, Barbosa, Nené, Pablo, André Sampaio e Agostinho ex-F.C. Lixa.
Avançados: Raimundo, Zezé ex-Santa Eulália, Pedro Garcia, Alírio, Filipe ex-A.D. Fafe, Hélder Oliveira (sem clube) e Zé Dias ex-júnior.

Declarações: 

Ricardo Martins (Presidente do Arões S.C.)

"Não queremos subir para fechar as portas passados dois anos"


"As nossas perspectivas são andar sempre lá em cima. Temos um bom plantel, temos um 3.º lugar da época passada. É precoce falar de subidas. Dependerá muito dos apoios que tivermos. Não queremos subir para fechar o clube passados dois anos. O que vos posso garantir é que conseguimos rapidamente a manutenção da maior parte dos jogadores, até porque nunca se devia mexer muito numa equipa vencedora. Penso que preenchemos bem algumas lacunas que tínhamos, mas é como vos digo, o nosso objectivo passará sempre por andar nos cinco primeiros lugares. O plantel está encerrado, há quem diga que é longo, podem sair alguns jogadores, mas está fechado. Temos quatro júniores porque apostamos muito na formação. Eu sou de Arões, joguei aqui e entristece-me um bocado olhar para as nossas equipas e não ver homens de Arões. A formação é para isso mesmo.


Miguel Paredes (Treinador)



"Queremos continuar a crescer e solidificar a nossa posição nesta divisão"

"Penso que será extremamente difícil fazer um campeonato como no ano passado. Terá sido excepcional, atendendo que era a antiga 3.ª divisão e nós estivemos lá perto, sempre nos lugares de cima, acabando por ficarmos a dois pontos da subida. O nosso objectivo foi manter a maioria do plantel e fazê-lo crescer. Tínhamos um plantel muito curto e isso criou-nos imensas dificuldades. Julgo que conseguimos jogadores de qualidade para andarmos nos primeiros lugares, mas penso que será um pouco mais difícil porque as equipas estão a apostar mais. Queremos continuar a crescer e solidificar a nossa posição nesta divisão, Pró-Nacional, e jogar jogo a jogo porque fazer futurologia é sempre complicado. Vamos sim dignificar ainda mais este clube, cada vez mais importante na A.F. Braga".     

Fafense Hélder Ferreira desponta no V.Guimarães em Sub-17...Dois golos no título de campeão e melhor jogador do campeonato!


Por: Gonçalo Pontes


Mais um talento fafense a despontar no V.S.C!


Desde muito novo que o jovem Hélder Ferreira começou a sua formação na Vitória Sport Clube onde fez as suas escolinhas, por intermédio de seu pai.
Tendo demonstrado várias qualidades futebolísticas, o jovem fafense, saltou às vistas dos olheiros, o que fez com que o Hélder se mudasse para o Benfica, quando ainda era apenas infantil.
Tudo estava a dar certo, mas o jovem não conseguia aguentar as saudades da família, o que fez com que Hélder quisesse regressar ao Vitória de Guimarães.
No Vitória, de novo perto da família, nada o impedia de vingar no mundo do futebol e foi o que foi fazendo. Golos sempre foram o seu forte, mas principalmente esta época que terminou, o jovem Hélder Ferreira marcou dois golos no jogo decisivo, frente ao Sporting, dando o titulo de campeão nacional de juvenis à sua equipa. 
Hélder, não se ficou por aqui e foi também considerado o melhor jogador do campeonato. 
Mais um jovem fafense que tem tudo para vingar no mundo do futebol. 

A entrevista que faltava: Pedro Castro ex-Presidente do Arões S.C....Além do cansaço, deixei de me identificar com personalidades e mentalidades atuais, contrárias aos meus princípios!


Por: Abel Castro

FafeDesportivo à conversa com Pedro Castro, ex-Presidente do Arões S.C.

- As chaves do clube iam ser entregues, não dormi nessa noite, e decidi avançar para a presidência

- Tornar o Arões na colectividade maior das freguesias de Fafe




A formação é fundamental para a vitalidade do clube

- A Taça A.F. Braga deve ser o principal objectivo para os próximos tempos

-Ser Presidente de um clube não é dispendioso, desde que haja critérios, cabeça e moderação

- Não podia deixar o clube sem mim e o Vítor Castro

- Espero e desejo que o Vítor Castro seja o futuro Presidente do clube

O futuro a Deus pertence, mas será muito difícil voltar a ser Presidente.

Como jogador, guarda-redes, Pedro Castro, natural e residente em Guimarães, defendeu as cores do Arões durante cinco temporadas. Após pendurar as chuteiras, Pedro deu início à sua actividade de dirigente na posição de responsável pelo futebol, durante dois anos.
Sempre em ascensão, e denotando já uma perfeita identidade com o Arões S.C., Pedro Castro chegou a líder da Direcção, cargo que desempenhou durante nove anos consecutivos. Em todo este período, nunca o Arões desceu de divisão, e estabilizou na antiga Divisão de Honra, hoje denominada por Divisão Pró Nacional da A.F. Braga. Na conclusão desta entrevista, Pedro Castro mostra uma confiança inabalável em Vítor Castro, homem da sua confiança, e que gostava ver a presidir a Direcção do Arões S.C.


FafeDesportivo: Pedro Castro, para trás fica uma linda história de um ilustre cidadão que ofereceu 16 anos da sua vida ao Arões S.C. Faça-nos uma análise sintetizada de todos estes anos no clube…
Pedro Castro: Foram anos de muito trabalho e dedicação a um clube que aprendi a gostar, primeiro como atleta, mais tarde como director desportivo, terminando como Presidente o que nunca sequer tinha imaginado ou tivesse essa ambição.
Como atleta, joguei no clube durante cinco épocas, nunca por dinheiro, mas sim pelo bem-estar que me proporcionou, ao qual nos últimos dois anos, já ajudava a formar o plantel sénior.
No final desses cinco anos o clube não tinha direcção e a solução passou por começar a ser dirigido por vários atletas e treinador de então, pediram-me colaboração a formar o plantel, ao qual eu aceitei.
Durante esses dois anos as coisas foram correndo bem, mas no final do mandato o clube caiu novamente num vazio directivo inultrapassável…
Eu, como director desportivo tinha o plantel formado para a época seguinte, mas não havia direcção. Então pensando mais com o coração, no último dia estipulado como prazo pelo Presidente da Assembleia Geral para a entrega das chaves do clube e sua consequente extinção, não dormi nessa noite, pensei e repensei, disponibilizei-me então para ser EU a solução no momento.
A partir daí foram dados passos sucessivos:
-Desde a confiança que teríamos de adquirir da parte dos sócios, das pessoas da freguesia e do conselho, demonstrando-lhes que estávamos ali apenas para trabalhar unicamente em prol do clube.
-Criar uma outra mentalidade, respeito, educação, confiança de todos os clubes e agentes desportivos envolvidos na competição.
-Definir como prioridade a fundamental e continua melhoria das condições do campo de futebol para atletas e espectadores até então muito precárias.
-Convencer a direcção do C.F.J.Arões a efectuar um protocolo de cedência de direitos de superfície por 25 anos do campo de futebol, para assim podermos recorrer a subsídios.
-Iniciar o alargamento do campo de futebol com apoio de subsídio.
-Iniciar a formação no clube com a escola de futebol “Os Arõezinhos”.
-Iniciar a construção da bancada por fases e sua cobertura sem garantias de conseguirmos o dinheiro necessário ou subsídio.
-Conseguir o arrelvamento do campo de futebol com subsídio.
-Implantar todos os escalões de formação no clube num total de 7 equipas com cerca de 170 atletas.
-Tornar o Arões Sport Clube na maior colectividade de futebol das freguesias do concelho de Fafe.
FafeDesportivo: Conseguiu obra em Arões. Não só nas infra-estruturas, mas também na consolidação da equipa no mais alto escalão da A.F. Braga. Não deve ter sido tarefa fácil…
Pedro Castro: Nada se consegue sem trabalho, sem dedicação e insistência. Não foi fácil, foram muitas horas, muitos dias de entrega por algo que aprendemos a gostar. Queremos que tenha algo de nós, da nossa imagem, que nos dê alento e força para continuar o trabalho em prol do clube.
O espírito de equipa dos directores, a humildade de trabalho da direcção, o respeito adquirido e a seriedade transmitida, foram alavancas que nos ajudaram sempre a conseguir os objectivos delineados progressivamente.
Quem trabalha em prol de um clube, tem de pensar sempre em conjunto, a palavra NÓS, tem de prevalecer.
FafeDesportivo: A Formação do Arões é das melhores do concelho e contempla todos os escalões. Foi uma aposta sua?
Pedro Castro: Sim, foi com a minha insistência e começou dois anos mais tarde do que pretendia. Na ocasião, havia hábitos e costumes que tiveram de ser ultrapassados.
Não bastava ter uma equipa de juvenis ou juniores sem bases no clube, sem mística, sem regras e hábitos de educação desportiva…perdia-se tempo e gastava-se dinheiro sem resultados práticos.
Era importante começar de baixo, com técnicos competentes e qualificados, para credibilizarem e ajudarem a implantar todas as regras, hábitos e mística do clube.
Era importante criar laços de amor clubístico, quer dos atletas, quer dos seus familiares para com o clube. Hoje a maioria dos directores do clube têm filhos a jogar lá.
A formação é fundamental para a vitalidade do clube, seja no aproveitamento de jogadores para a equipa sénior, seja no acompanhamento que os seus familiares dão ao clube, bem como nas renovações das direcções que com a passagem das várias gerações de atletas se renovam naturalmente. Os atletas de hoje, serão os directores de amanhã.
FafeDesportivo: Provavelmente vai recordar para toda a vida a final da Taça A.F. Braga que o Arões disputou no Estádio Afonso Henriques. Considera que foi o ponto mais alto em termos desportivos que vivenciou no clube?
Pedro Castro: Na verdade a presença na final, foi um marco muito importante na história do clube que recordarei com bastante orgulho. Nunca outro clube do concelho o tinha conseguido, sendo assim o Arões Sport Clube o primeiro a conseguir tal feito… pena não termos vencido.
No entanto o terceiro lugar alcançado na época passada e na época de 2009/2010, a somente dois pontos da subida aos Campeonatos Nacionais, foram também extremamente relevantes e inesquecíveis.
A conquista da taça A.F.Braga, era até aquela altura algo irrelevante, mas a partir de então deve ser naturalmente o maior desejo e objectivo do clube nos próximos tempos.
FafeDesportivo: Apostou quase sempre em treinadores da zona de Fafe. Gomes, Paulinho, César Salustiano, Miguel Paredes. Diga-nos porquê? Há algum segredo nisto?
Pedro Castro: Na verdade isso aconteceu sempre, não só pelas qualidades e competências dos respectivos técnicos, mas era fundamental que estivessem identificados com a mística e realidade do clube, que se adaptassem rapidamente, que fossem humildes, mas ambiciosos.
Nunca nenhum treinador, treinou o Arões Sport Clube por amor ao dinheiro, antes por gosto do que faziam e no que acreditavam em nós.
Todos que por lá passaram, ficaram amigos do clube, com a sua porta aberta e continuaram meus amigos pessoais.
FafeDesportivo: Em termos financeiros fica dispendioso ser Presidente de um clube como o Arões? Deixou dinheiro investido no clube?
Pedro Castro: Ao contrário do que possam pensar, ser Presidente de um clube não é dispendioso, desde que haja critérios, cabeça e moderação. Claro que não fazemos contas ao tempo que se dá ao clube, aos telefonemas, nem ao combustível, nem ao tempo que tiramos à família.
O que é preciso é, fundamentalmente muito trabalho, haver ideias, trabalhar-se em equipa, com humildade, com responsabilidade, com seriedade, com respeito, com educação e nunca ser-se cego na ambição.
 Se tivesse investido o meu dinheiro, o Arões Sport Clube de certeza que teria subido de divisão.
Temos de pensar-se que o clube não é nosso mas sim dos sócios e que quem vem a seguir pode dirigir o clube com estabilidade.
FafeDesportivo: Já no final do último mandato nos disse que se calhar era para terminar. No entanto continuou. Era cansaço? Sentia que, como se faz com os treinadores, era necessário mudar de rosto?
Pedro Castro: Continuei, como continuei noutros anos em que me preocupei sempre com o futuro do clube.
Era minha intenção terminar no final da época 2012/2013 a Presidência do clube, como já havia comunicado com antecedência aos meus colegas de direcção.
Cansaço exista sim, não do trabalho que temos a tratar dos assuntos do clube, nem dos problemas naturais que surgem no dia-a-dia do clube, mas sim, de ter de continuar a arranjar soluções financeiras para fazer face às despesas do clube. Foram onze anos a chatear quase sempre os mesmos amigos para ajudarem o clube, amigos na maioria fora de Arões, muitos deles nem conhecem o campo, nem a freguesia, que foram ajudando por amizade e consideração à minha pessoa.
O facto de eu não habitar, não ter familiares, nem empresa em Arões, limitou-me sempre na capacidade de influência sobre as pessoas e empresas que podem ajudar o clube.
No entanto após a brilhante presença na final da Taça A.F.Braga o coração voltou a falar mais alto, não podia deixar que o clube ficasse amputado de duas pedras fundamentais da sua organização de uma só vez, eu e Vítor Castro.
Tentei motivar o Vice-Presidente Vítor Castro a presidir ao clube, mas o mesmo também já tinha decidido antecipadamente que precisava de descansar.
Se ambos saísse-mos ao mesmo tempo, teria sido com certeza muito grave para o clube, que não estava preparado para tal.
A outra solução que existia não era o consensual e teria que se ir adaptando aos poucos. 
FafeDesportivo: Não foi no último mandato, mas aconteceu neste. Fim de ciclo para Pedro Castro no Arões S.C. Aqui, gostaríamos que nos dissesse ao pormenor o que o levou a cessar as suas funções, numa fase em que o Arões não subiu ao CNS por uma vitória e obteve um brilhante 3.º lugar final, com o clube completamente estabilizado. Pelo menos foi o que sempre transpareceu…
Pedro Castro: Tomei posse para um mandato de dois anos, mas com o acordo prévio de que  poderia  ser interrompido a qualquer momento, desde que eu o entendesse.
Em cinco mandatos a que presidi ao clube, exceptuando o convite ao actual director desportivo Paulo Martins que também não é de Arões e muito tem feito pelo clube, praticamente nunca trouxe ninguém para a direcção do clube, sempre trabalhei com quem apareceu e disponibilizou-se para ajudar.
Além do referido cansaço da pergunta anterior, apenas deixei de me identificar com personalidades e mentalidades actuais, contrárias aos meus princípios.
FafeDesportivo: Acha que foi uma sucessão normal, ou guarda recordações menos boas que ainda não teve oportunidade de tornar públicas? Nunca mais teremos Pedro Castro no Arões S.C. ? Ou entende que um dia é possível o regresso?
Pedro Castro: A sucessão será normal, hoje o clube está bem organizado e tem pessoas competentes em todos os escalões, sejam eles técnicos ou directores.
Com o prestígio que por mérito próprio foi adquirindo ao longo dos anos, o clube é apetecível e não terá mais problemas em encontrar quem o dirija.
Espero e desejo que o Vítor Castro seja o futuro Presidente do clube, é uma pessoa fundamental no presente do clube e que já trabalhou muito para o mesmo. Terá sempre o meu apoio, para além de gostar muito do clube é uma pessoa do futebol, equilibrado nas relações pessoais com atletas, técnicos, dirigentes ou pais de atletas.
Continuarei a acompanhar o clube como adepto e associado atento. O futuro a Deus pertence, mas será muito difícil voltar a ser Presidente.
FafeDesportivo: Quer deixar algum agradecimento/recado/crítica para alguém em especial?
Pedro Castro: Agradeço a todos aqueles que me acompanharam na direcção do clube ao longo destes anos e que em conjunto escrevemos páginas bonitas na sua história. Bem como a todos os amigos, sócios, patrocinadores, fornecedores e agentes desportivos que confiaram em mim e nos meus colegas de direcção. Ainda um agradecimento especial a todos os atletas e técnicos que vestiram a camisola do Arões Sport Clube, sempre com muito empenho e dedicação, acreditando em toda a direcção que os acompanhou e apoio dentro do possível.





terça-feira, 22 de julho de 2014

A.D.Fafe/Natação: Fez-se história com 8 recordes de clube e 15 recordes pessoais!

Redacção


Natação – Campeonatos Nacionais de Infantis

AD Fafe por duas vezes nos 3 melhores; fez-se História, com 8 Recordes do Clube; época termina com 15 recordes pessoais

Os nadadores Infantis da Associação Desportiva de Fafe (ADF) competiram pela última vez esta época em Loulé, entre os dias 18 e 20 de Julho, na competição mais importante de todas, os Campeonatos Nacionais. Estes campeonatos contaram com a presença de 422 nadadores em representação de 88 clubes nacionais, entre eles a comitiva fafense composta por 6 nadadores, orientados por Rui Ribeiro. Depois dos brilhantes resultados dos mais novos no fim-de-semana anterior, os infantis não podiam ter dado melhor continuidade à onda de sucessos e terminaram a época com dois “pódios” nacionais, mais recordes e resultados de grande nível.
Um dos fafenses em grande destaque foi Romeu Fernandes, que melhorou os seus tempos e ficou nos 10 primeiros lugares em todas as suas 4 provas, tornando-se ainda o melhor Infantil B fafense de sempre nos 100m (5.º lugar) e 200m Livres (6.º lugar) e nos 100m Mariposa (3.º lugar), com 3 Recordes do Clube nestas provas. João Freitas não ficou atrás e bateu 2 Recordes do Clube nos 100m (3.º lugar) e 200m Costas (4.º lugar), também no escalão Infantil B. Com os 200m Estilos, concluiu a sua participação com 3 recordes pessoais. A capitã Beatriz Oliveira também ficou na História da ADF com 3 Recordes do Clube, nos 100m Mariposa (6.º lugar), nos 200m Mariposa (7.º lugar) e nos 200m Estilos e avança para os Juvenis com um nível competitivo promissor.

Tânia Meireles, em clara subida de forma após uma lesão sofrida em Abril, obteve novos recordes pessoais nas duas provas que nadou, os 100m e 200m Costas. Francisca Carvalho participou nos 100m Costas e apresentou a 3.ª melhor progressão fafense dos campeonatos nesta prova, com um novo recorde pessoal. Margarida Leite obteve um novo recorde pessoal nos 100m Costas e esteve próxima da sua melhor forma nos 200m Costas e 400m Livres.
Os Infantis fafenses “desenharam”, nas águas de Loulé, 8 novos Recordes do Clube, 15 recordes pessoais em 17 provas e uma progressão média espantosa de 5%, em menos de 3 semanas. Termina assim em grande mais uma época dos Infantis, recheada de medalhas e recordes. Os “golfinhos” seguem agora para as merecidas férias e em Setembro começam a nova temporada, com 14 caras novas que “sobem” dos Cadetes para os Infantis, enquanto os 5 Infantis A que terminam agora a época transitam para a equipa de Juvenis.


Jorge Monteiro renovou com o G.D. Fareja, num processo que não foi fácil!

 Redacção
  
Depois de intensas negociações a mais esperada renovação no G.D. Fareja está concretizada. 

Tratou-se de um trabalho árduo da direcção presidida por Jonathan Dias para garantir a contratação desta jovem promessa, chamada Jorge Monteiro, guarda-redes, que foi bastante cobiçado por outros clubes nesta paragem dos campeonatos.

O actual valor e treino de guarda-redes, sob o olhar atento do Treinador Litos Soares


 Crónica de Litos Soares 
                    


                ETAPAS DE APRENDIZAGEM lll


                 Sub 18 -  Aperfeiçoamento Desportivo

Esta etapa, dirigida a Guarda Redes até aos 18 anos, possuindo um excelente nível técnico, centrar-se-á especialmente pela criação de situações reais de jogo mediante um trabalho global e com intensidade muito alta. Através deste trabalho global, reforçará todos os aspetos da técnica em situações semelhantes as que ira encontrar no jogo e assim, poderemos avaliar se é capaz de responder bem técnica e taticamente nas diferentes variáveis que se apresentam na competição.

                        Guarda Redes o que nos esperamos?

Dos nossos Guarda Redes
Dos Guarda Redes que ainda não são nossos


                            Como é que vamos avaliar?

Os nossos Guarda Redes como os vamos treinar?
Os Guarda Redes que ainda não são nossos, como vamos fazer a prospeção?
Ver a sua evolução
Ver se nos interessa


                        O Guarda Redes na análise de jogo

Seleção de talentos para a formação
Contratação de Jogadores para a equipa principal
Scouting ao adversário, pontos fortes e fracos





                                         O QUE OBSERVAR?

Técnica- colocação dos braços.
Inteligência-antecipação e concentração.
Personalidade-determinação e bravura.
Speed-velocidade de saída dos postes.


                    PARA A EQUIPA PRINCIPAL O QUE OBSERVAR?

Índices técnicos da defesa: posição na baliza, saída aos cruzamentos, jogo de pés incluindo passe longo.
Antecipação e concentração, instante imediato á recuperação da bola; capacidade de leitura e gestão do ritmo face as exigências do jogo.
Calculismo e frieza, concentração, comunicação com os colegas, liderança, sobretudo no setor defensivo e bolas paradas.
Velocidade de saída dos postes mas sobretudo na transição ofensiva.


                            o que observar no adversário?

Pontos fortes e debilidades técnicas na defesa- saída aos cruzamentos, remates de longe, mancha, participação no jogo ofensivo, referência posicional e saída dos postes.
Rapidez com que lança o ataque e a gestão do ritmo de jogo.
Influencia na liderança da organização defensiva.
Relação posicional nos postes e velocidade de saída.


                 COMO VAMOS TREINAR OS NOSSOS GUARDA REDES?

PROGRAMA DE TREINOS GERAL
Esse programa poderá ser aplicado a todos os Guarda Redes?
Todos os Guarda Redes tem o mesmo perfil?
Todas as equipas jogam da mesma forma?
Os adversários são todos iguais?
ENTÃO:
Teremos de saber como queremos jogar.
PARA:
Determinar que tipo de Guarda Redes nos interessa.
POR ESSA RAZÃO:
É imprescindível treinar em função do tipo de jogo (nossa equipa).


                                   PENSAMENTO DA SEMANA

“Ser Guarda Redes é, evidentemente, uma maneira de se diferenciar dos restantes”
Bons treinos e bons Jogos meus Amigos
Litos Soares




Entrevista com Pedro Ismael..."Não é todos os dias que dois irmãos defendem o clube da sua terra". "Também quero homenagear o meu avô"!


Texto e fotos: Abel Castro



FafeDesportivo à conversa com Pedro Ismael, jogador do O.F.C. Antime...

- Ao longo do meu percurso de desportista, tentei sempre na íntegra conciliar uma vida de formação académica

- Já fui campeão no Antime com o treinador Abel Castro (Director do FafeDesportivo)

- Tive uma panóplia de escolhas que não foram viáveis para a minha vida profissional

- Tenho esperança de um dia jogar na A.D. Fafe

- Concluí ontem o Mestrado na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (Via Ensino)


- Não me sinto craque. Sou mais um para ajudar o Antime

- Direcção do Antime foi incansável desde o 1.º dia.

- O meu pai foi sempre o treinador de casa!




FafeDesportivo: Pedro, após uma carreira onde já conheceste vários clubes, destacámos o teu “baptismo” no V.S. C. Guimarães e também a tua passagem pelo Boavista F.C. Na época passada jogaste num escalão igual ao da A.D. Fafe, CNS, no Cinfães. Pergunto, porquê ingressar no Operário de Antime que disputa a divisão de Honra da A. F. Braga?
Pedro Ismael: Primeiramente, agradeço o convite que me foi dirigido pelo “FafeDesportivo” do qual, aprecio de todo em todo a atenção que me foi facultada. Ao longo do meu percurso de desportista, tentei sempre na íntegra conciliar uma vida de formação académica. Neste momento, findei os meus estudos e quero agora lançar-me no mercado de trabalho. Fui sempre educado e apologista de que os estudos ou o emprego são os ingredientes basilares para uma vida de excelência, ao nível pessoal e profissional. Para isso, era importante ter um clube próximo de casa, para que fosse possível dar continuidade a esta conjuntura.
FafeDesportivo: Já envergaste a camisola do Operário de Antime há 14 anos atrás. Tinhas 10 anos. Como recordas esse tempo?
Pedro Ismael: Recordo com saudade, é claro! Foi uma fase extraordinária. Após a minha chegada a Portugal, recebi o convite para ingressar no Operário de Antime, como campeão distrital da Alemanha (Sub7). Nesse ano, sob o comando do treinador Abel Castro (diretor do blog “Fafe Desportivo”), tive novamente a felicidade de ser campeão, mas agora no torneio da Câmara Municipal de Fafe. Criei muitas amizades que ainda hoje são uma verdadeira inspiração.
FafeDesportivo: És um jogador com uma excelente técnica, és também exímio nas bolas paradas e funcionas tipo um playmaker na zona intermediária. Não te surgiram outros convites?
Pedro Ismael: Sim. Posso afirmar que durante toda a minha fase de “Sénior”, este ano surgiu uma panóplia de escolhas, em que tive a faculdade de optar. No entanto, como referi anteriormente essas não seriam viáveis para a minha vida profissional.
FafeDesportivo: Falemos do clube da tua cidade. És ainda jovem, tens somente 24 anos. Acalentas a possibilidade de jogar um dia na A.D. Fafe. Gostavas de o fazer?
Pedro Ismael: Sim. Apesar de não ter realizado a minha formação na A.D.Fafe - mas sim no Vitória de Guimarães - sempre tive o desejo de defender as cores da minha cidade. Ainda tenho esperança de que um dia as possa dignificar.
FafeDesportivo: O facto de por vezes deixares a tua carreira de futebolista para segundo plano tem sido rentável? Como estamos nesse capítulo?
Pedro Ismael: Acabei precisamente, ontem, de concluir o Mestrado na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (Via Ensino).
FafeDesportivo: Voltemos ao Antime. Sentes-te o “craque” da equipa, ou vens com ganas de “fazer estragos” em todos os campos onde vais actuar?
Pedro Ismael: Não me sinto o “craque”! Sinto-me, sim, atleta do Operário de Antime. Sou mais um jogador que vai dar o seu contributo à equipa, com a convicção de atingir as metas desejáveis da coletividade.
FafeDesportivo: Esta passagem pelo Antime servirá de rampa para voltarmos a ter o Pedro Ismael a competir nos campeonatos nacionais? Na segunda Liga por exemplo? Ou nunca pensaste nisso?
Pedro Ismael: Todos os anos dou o meu melhor contributo, independentemente da divisão em que me encontro. É natural que caso surjam convites de divisões superiores, serão analisados da melhor forma, mas nunca prejudicando a minha vida profissional.
FafeDesportivo: Já sabemos que vais pela primeira vez jogar na mesma equipa do teu irmão, Serginho. Qual é a sensação?
Pedro Ismael: Confesso que me sinto radiante. Já tive muitas experiências ao nível do futebol, mas esta supera todas elas. Pois, não é todos os dias que vimos dois irmãos a defender as cores da sua terra.
FafeDesportivo: Apesar de algumas contrariedades, já citadas, continuas a amar o futebol. Imaginas-te a jogar na 1.ª Liga do futebol nacional?
Pedro Ismael: Todos os que praticam a modalidade de futebol sonham com a primeira liga. É óbvio que essa situação está longe de acontecer. Contudo, independentemente da divisão que se encontre um jogador, o profissionalismo deve estar sempre presente.
FafeDesportivo: Queres deixar algum recado/mensagem/ agradecimento para alguém em especial?
Pedro Ismael: Sim. Desde já agradeço o convite que me foi feito pelo Operário de Antime, pois desde o primeiro momento, a direcção foi incansável!
Todavia, também não podia deixar de relembrar o meu Avô Francisco Gonçalves, antiga glória do Antime. E, sem margem para dúvidas, devido ao seu falecimento neste ano, pesou nesta escolha de jogar no Operário de Antime, sendo um modo de o homenagear.
Por último, ao meu Pai, Ismael Gonçalves por ter sido um verdadeiro treinador de casa, pelo seu apoio e por me ter acompanhado todos estes anos na minha carreira futebolística.


Centro Budo de Fafe encerra época com Torneio de Karate


Redacção

KARATE

No dia 19 de Julho o Centro Budo de Fafe promoveu nas suas instalações um encontro de Karate intitulado “Torneio Cidade de Fafe”, que já vai na sua 5ª edição
Este evento contou com presença de cerca de trinta jovens atletas do CBF, que se bateram muito bem entre eles, tanto na prova de Kata (técnica) como na prova de Kumite (combate), denotando sempre uma postura combativa nestas duas vertentes do Karate.
O objetivo primeiro deste evento, à semelhança dos anteriores, passa por motivar os atletas para a competição, uma vez que muitos, ainda, não participaram em qualquer prova oficial, sendo por isso atribuído um prémio de participação a cada um dos intervenientes, e um troféu aos que chegaram ao pódio.
Terminado o torneio o CBF realizou o habitual pic-nic de fim de época, aberto a todos os seus praticantes e familiares num ambiente de total convivialidade, proporcionando desta forma uma interação harmoniosa e saudável entre pais e alunos.
O Centro Budo retomará a próxima época desportiva no dia 1 de Setembro de 2014.